Tu e eu, assim, fazemos sentido.

Entrei num filme quando te conheci. Sabes, aqueles filmes que vês e dizes
-meu deus, bate tudo tão certo!
A música que está alinhada com cada gesto, o ângulo de visão da rapariga que fixava o horizonte era perfeitamente sonhador. Cada suspiro ao fim da noite, cada nuvem no céu daquela praia onde os dois acordaram: tudo gritava um silêncio satisfeito. Não era preciso dizer nada. Nada se pode acrescentar à perfeição - por definição. But we'll find a way to keep going. Aqueles filmes que vês e dizes
-nunca nada é assim na vida real.
Mas é, prometo. São assim os diálogos que encaixam um num outro como peças sedutoras de um puzzle que não vamos deixar terminar.

Alicee

5 comentários:

S* disse...

Que bonito... sejam muito felizes.

PR" disse...

Tao doce, tao simples, tao verdadeiro!

The RP disse...

You make touching people's hearts look so simple.

I've got to try so hard. You do it so naturally.

Inveja :P @

(Gostei muito, claro)

Joana ' disse...

Minha querida, sei que ando verdadeiramente repetitiva, mas adorei, mais uma vez.
E talvez o problema nem seja completar o puzzle. O problema, a meu ver, é ter as peças sobre a mesa, bem na nossa frente e ao nosso alcance, e não saber o que fazer com elas...
Um beijinho*

Luisa Corte Real disse...

Adoro ler a tua forma de escrita, é poética mas ao mesmo tempo realista.
Espero que realmente o filme que estas a viver, tenha um final feliz, são os meus votos.

Beijocas

Invisible Woman (55) Alice (49) One more (49) Carolina (37) S. (33) Amy (19) Dee Moon (7)