Universos paralelos.

Escrevo isto, porque um dia talvez te mostre tudo, tirando algumas partes tristes que nessa altura serão só suspiros infundados. Talvez fiques a saber a minha paranóia, a minha obsessão, e talvez sorrias ao saber quantas lutas interiores quebrei para te dizer finalmente "olá".  (Ou talvez não, porque isto é demais, é demente. É de alguém iludido que gosta de escrever e não tem nada para fazer.)

Então talvez eu escreva isto para um dia ser analisado por alguém interessado em mim, quando eu morrer, ao descobrir uma série de papéis amarrotados numa caixa forrada de folhas secas debaixo da minha cama. Talvez tu encontres estes textos publicados, no fundo de uma livraria onde ninguém vai, e te lembres então de mim, e saibas tudo o que eu um dia achei de ti. Talvez aches que eu era perfeita para ti e que devias ter percebido isso. Talvez sintas um aperto no coração porque afinal também tu lutavas todos os dias para ganhar coragem para me dizer "olá". Ou talvez aches que eu era realmente doida, e esperes nunca ninguém vir a descobrir que a pessoa a quem eu escrevia isto tudo és tu. Mas talvez tu não te lembres de mim, e ao leres isto tudo aches apenas que esta seria uma história gira para viver.

Quero avisar-te em qualquer dos casos que eu tenho a noção, ao escrever estes textos, de que estou a exagerar. Mas olha, ao menos que fique aqui escrita uma coisa bonita para as gerações futuras saberem parar, sentar-se numa mesa de um café qualquer e observar, porque se calhar os nossos sonhos podem habitar todos a pessoa em frente, junto à janela, e nós só não o sabemos.

I.W.@

10 comentários:

incógnita disse...

não podia concordar mais, escrevemos simplesmente porque sim, independentemente do que acontecerá no futuro.

Pandora disse...

É absolutamente verdade. Normalmente dirigimos sempre o que escrevemos a alguém, mas também não interessa muito o que essa pessoa diz/pensa sobre isso.
Falo por mim, eu escrevo porque parece mais fácil. Como se lhe falasse mas ele não ouvisse (simplesmente isso)

ines disse...

Lindo(:

Marilena' disse...

Fico contente tenhas gostado :$$

S* disse...

Uma história que merece ser vivida, isso sim.

jefhcardoso disse...

Olá! Venho do blog do The RP, onde estive a ler a saga Austrália. Foi ali que encontrei o seu blog, e aqui chegando vejo que o gosto por criar textos é algo muito presente entre os amigos do blog do The RP.

E se o sonho é secreto somente algum fato inesperado pode mesmo revelar-lhe. Mas aqui no texto fica declarado o amor puro e sincero de quem ama por amor e mais nada.
Muito belo. Parabéns!

Abraço do Jefhcardoso, do Brasil!

João Rodrigues disse...

Por acaso nunca vi esse filme. Tenho de o ver :)

Este texto está lindo *.*

ines disse...

oh, muito obrigada :) mas olha, acredita que por vezes é melhor ser filha unica XD
beijinhos ;D

Joana ' disse...

Querida, quantas vezes passamos para o papel aquilo que queriamos gritar aos ouvidos de alguém? Quantas vezes calamos as palavras com medo que, ao falá-las, ninguém entenda o seu significado.
Tenho a certeza que, caso o rapaz por quem a invisível se apaixonou, simplesmente porque lhe sabe bem amar tal pessoa, iria ficar feliz ao ler todos estes textos... São sempre tão bonitos querida *.*

E obrigada.. Felizmente o exame correu melhor do que esperava e deu para passar :)
E a ti, como correu? Espero que muito bem :)
Um beijinho querida, continua a encantar-nos com as tuas palavras*

jo disse...

escreves LINDO , adorei.

Invisible Woman (55) Alice (49) One more (49) Carolina (37) S. (33) Amy (19) Dee Moon (7)